ALERTA: Comerciantes de Itapecuru "fecharão as portas" com a reforma da previdência, diz sindicato
04/05/2019 08:59 em Itapecuru

Na noite desta sexta-feira (03) o Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais (STTR) de Itapecuru Mirim usou a tribuna da câmara de vereadores do município para fazer um alerta e apresentou dados que merecem atenção de toda a sociedade.

Preocupados com a propposta de reforma da previdência anunciada pelo governo Bolsonaro, dirigentes sindicais se fizeram presentes na sessão da câmara que acabou não acontecendo por falta de chorum. Em respeito à presença da entidade no parlamento itapecuruense, o presidente da casa, vereador Carlos Júnior (PTC), abriu os trabalhos, os deu por encerrado e abriu espaço para que o secretário de finanças do STTR fizesse uso da palavra.

IMPACTO NA ECONOMIA LOCAL

Raimundo da Filipa usou a tribuna José Carlos Gomes Rodrigues para alertar a sociedade itapecuruense das dificuldade pelas quais a economia local poderá vir a sofrer com a aprovação da reforma previdenciária proposta pelo atual governo federal e em discussão no congresso nacional. De acordo com o sindicalista, o primeiro impacto será sentido pelos empresários do município. Do comércio informal às grandes empresas.

Atualmente a aposentadoria rural responde sozinha por grande parte da movimentação de bens e serviços em todo o município, afirma Raimundo. Dados apresentados por ele mostram que somente o valor investido por este segmento em apenas um ano é 3 (três) vezes maior que o Fundo de Participação do Município (FPM) no mesmo período. Segundo o sindicato, o valor repassado pela previdência rural a aposentados e pensionistas de Itapecuru em 2018 foi de R$ 84.644.448,77 (oitenta e quatro milhões, seissentos e quarenta e quatro mil, quatrocentos e quarenta e oito reais e setenta e sete centavos); enquanto a prefeitura recebeu apenas R$ 24.661.493,86 (vinte e quatro mihões, seissentos e sessenta e um mil, quatrocentos e noventa e três reais e oitenta e seis centavos) no mesmo ano.

Com estes números fica claro que somente a aposentadoria rural injetou exatos R$ 59.982.954,91 (cinquenta e nove milhões, novecentos e oitenta e dois mil, novecentos e noventa e um reais, noventa e um centavos) na economia itapecuruenses a mais que o FPM em 2018. São laboratórios, famácias, comerciantes informais, matariáis de construção, lojas de roupas, frigoríficos, mercearias, micro e pequenos empresas beneficiadas com o aposento rural. Tanto na sede quanto na zona rural.

Somados em três anos os repasses do FPM de Itapecuru Mirim o total será de algo em torno de R$ 73.984.481,58 (setenta e três milhões, novecentos e oitenta e quatro mil, quatrocentos e oitenta e um reais, cinquenta e oito centavos). Ou seja, em um único ano o valor da aposentadoria é maior e ainda sobram R$ 10.659.967,19 (dez milhões, seissentos e cinquenta e nove mil, novecentos e sessenta e sete reais, dezenove centavos).

O QUE MUDA

Pela proposta da reforma o trabalhador rural que hoje se aposenta com idade mínima de 65 anos (homens), 60 anos (mulheres) e precisa comprovar atividade rural mínima de 15 anos com comprovação feita pelo sindicato rural, passará a ser apartir dos 60 anos para homens e mulheres, tendo que contribuir durante 20 anos com um valor mínimo obrigatório de R$ 600,00 (seissentos reais) por ano.

Veja abaixo o vídeo da TV Senado com esclarecimentos sobre as mudanças.

 

Com as mudanças o número e valor da aposentadoria para o trabalhador rural diminuirá consideravelmente, afetando de imediato toda a rede de comércio e serviços em toda a região.

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!